Certificado digital da Prodemge ganha preferência de pequenos empresários de Sete Lagoas

O posto de posto de atendimento da Prodemge na cidade de Sete Lagoas acaba de completar um ano e está em pleno crescimento. O agente de registro Frederico de Jesus lembra que, na época da inauguração, encarou como um desafio conquistar credibilidade para o certificado digital da Companhia junto, especialmente, a escritórios de contabilidade que atendem pequenas empresas, num mercado que já era disputado por várias agências do ramo.

“Como empresa do Estado, a gente tinha que trazer um serviço mais acessível e de boa qualidade para as pequenas empresas e prefeituras, principalmente”, diz Frederico.

Maria Cecília Figueiredo, advogada da GDA Contabilidade, acha que esse papel está sendo cumprido. Ela soube da chegada da Prodemge por meio de um folder distribuído por Frederico e foi pesquisar sobre a novidade no site da empresa.

“A Prodemge trouxe algumas vantagens importantes para o pequeno empresário. Os preços são melhores, é mais prático porque se pode agendar e emitir boleto pela internet e, exceto o tipo A1, que raramente precisamos, pois não é é necessário baixar os certificados. A gente sai do atendimento com o certificado pronto pra uso, eliminando riscos para o contador”, explica Maria Cecília.

Fóruns Regionais

A chegada da Prodemge a Sete Lagoas faz parte da política de interiorização do serviço de emissão de certificados digitais da Companhia. A partir de 2015 foram abertos postos de atendimento em 16 cidades, cobrindo os Territórios de Desenvolvimento definidos pela política estadual dos Fóruns Regionais de Governo.

A iniciativa responde também à crescente exigência do certificado digital na gestão das pequenas empresas e de instituições como prefeituras, que migra cada vez mais para a internet.

Neste ano, por exemplo, o certificado digital passou a ser exigido de empresas do Simples Nacional com mais de três empregados para enviar informações trabalhistas, fiscais e previdenciárias para a Receita Federal. Já está em vigor também a obrigatoriedade da Nota Fiscal de Consumidor eletrônica (NF-e) para as casas comerciais com faturamento superior a R$ 360 mil por ano. Alterações nos contratos sociais também passaram a ser feitas mediante certificado digital dos sócios.

Já nas prefeituras, o prefeito e o vice-prefeito, pelo menos, devem ter o certificado digital para que a administração municipal tenha acesso ao Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (Siconfi) da Secretaria do Tesouro Nacional (STN). O fornecimento de dados fiscais, financeiros e contábeis, por meio do Siconfi, é obrigatório para as prefeituras.

Profissionais autônomos

O certificado digital está entrando também na rotina de muitos profissionais autônomos. É o caso da dentista Trícia Ramalho, que precisou fazer o certificado digital para recolher encargos sociais de uma nova funcionária do consultório, também em Sete Lagoas. “O meu contador, Breno Bonfim, foi quem me indicou o posto da Prodemge e deu tudo certo. Foi tranquilinho, rápido e está funcionamento muito bem”, conta a dentista.

Segundo o próprio Breno, que presta serviços contábeis em Sete Lagoas há 10 anos, a dentista Trícia não é uma exceção. O contador decidiu ‘experimentar’ o serviço da Prodemge logo que soube da abertura do posto de atendimento na cidade. “O bom atendimento, os preços e a praticidade conquistaram os meus clientes”, diz Breno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *