Governo de Minas Gerais anuncia novo espaço para centro de formação artística da Fundação Clóvis Salgado

 

Com o objetivo de ampliar a formação em arte e cultura em Belo Horizonte e no estado, o Governo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado (FCS), apresentou na manhã desta sexta-feira (15/12) a nova unidade do Centro de Formação Artística e Tecnológica da FCS (Cefart): O Cefart Andradas.

Localizado em um espaço privilegiado na avenida dos Andradas, ao lado da Serraria Souza Pinto e próximo ao Parque Municipal e à Praça da Estação, o prédio vai abrigar algumas atividades das escolas de Artes Visuais, Dança, Música, Teatro e Tecnologias do Espetáculo, entre outras, que compõem a atual matriz curricular do Centro de Formação.

A solenidade de abertura, realizada na sede do Cefart Andradas, contou com a presença do secretário de Estado de Cultura, Angelo Oswaldo, do presidente da Fundação Clóvis Salgado, Augusto-Nunes Filho, da presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha), Michele Arroyo, e da assessora de gabinete da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, Ana Paula Oliveira, representando o secretário Helvécio Magalhães, além de representantes do poder público e da sociedade civil.

Durante a cerimônia, os participantes ressaltaram a importância do Cefart como um dos principais centros de formação artística no país, além de apontarem o Cefart Andradas como um exemplo de fomento à circulação das artes e da cultura na cidade.

O presidente da FCS, Augusto Nunes-Filho, pontuou que a futura inauguração do Cefart Andradas fortalece, ainda mais, a própria Fundação Clóvis Salgado que, por meio dessa iniciativa, ganha destaque no cenário do fomento artístico e cultural. Para Augusto Nunes-Filho, o Cefart Andradas é um importante marco da atual administração. “Além de atender a antigas demandas dos próprios alunos, esse espaço vai potencializar nossa produção artística em diferentes linguagens”, comemora.

Para Angelo Oswaldo, o novo prédio se integra ao conjunto arquitetônico da Serraria Souza Pinto, outro espaço administrado pela FCS. “Com a inauguração do Cefart Andradas, e consequentemente, o início das atividades, o Governo do Estado vai fomentar ainda mais a arte e a cultura por diferentes pontos de Belo Horizonte, criando, assim, um espaço diverso, democrático e fundamental para a circulação artística em nossa cidade”, destacou o secretário.

O processo de aquisição do espaço se prolongou por dois anos, período em que houve uma série de pesquisas, negociações, decisões e encaminhamentos. De acordo com Ana Paula Oliveira, da Seplag, a entrega do espaço “simboliza todo o empenho do Governo de Minas para fortalecer a cultura e a educação no Estado”.

 

Diferentes possibilidades

O Cefart Andradas vai funcionar em um espaço diferenciado. A proposta é que, com a reforma arquitetônica, o local esteja ainda mais integrado ao corredor cultural da Praça da Estação. O prédio possui 3.300 m², distribuídos em quatro andares que, com as futuras readequações, serão utilizados como sala de aula, estúdios de dança e espaço para ensaios.

Além de abrigar as escolas de formação artística e de tecnologia do espetáculo do Cefart, o espaço, também será a nova sede do Centro Técnico de Produção – CTP, da Fundação Clóvis Salgado. O local, que atualmente funciona em Sabará, é responsável pela produção de cenários, figurinos e adereços para as óperas e outras produções da FCS.

De acordo com Vilmar Souza, diretor do Centro de Formação, a vinda do CTP para o Cefart Andradas vai integrar ainda mais o espaço. “Nossos alunos, principalmente aqueles que cursam disciplinas de Tecnologia do Espetáculo, poderão compreender ainda mais o complexo processo de produção e criação cênicas”, pontua.

 

Arte em percurso

Para conhecer o novo espaço, o público foi convidado a participar de uma visita. Guiados pelo ex-aluno do Cefart e estudante da Residência em Teatro da FCS, Thiago Amador, que incorporou sua personagem, o palhaço Amador, os participantes da cerimônia de inauguração acompanharam um cortejo artístico, com apresentações do espetáculo KARAR Itinerante, ocupando todos os andares do prédio e criados por alunos das escolas de dança, música e teatro. Entre vários instrumentos musicais, canções e passos improvisados de dança, o palhaço simbolizou a multiplicidade artística e o sincretismo cultural que vão sustentar as atividades da extensão do Cefart.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *