Mutirões contra a Dengue recolhem 22 toneladas de lixo em Sete Lagoas

A Prefeitura Municipal de Sete Lagoas (MG) por meio da Secretaria de Saúde realizou, entre os dias 13 de novembro e 06 de dezembro, mutirões de limpezas em combate ao mosquito Aedes Aegypti.

As ações foram desenvolvidas em 15 áreas prioritárias, que incluem 42 bairros do município, elencadas pelos Supervisores de Área em conjunto com os representantes do Comitê de Combate à Dengue. Estas ações tiveram como objetivo a contenção da infestação do mosquito Aedes Aegypti, com a retirada dos inservíveis e mobilização da comunidade, deixando claro para a população a importância de realizar a limpeza nos quintais e áreas comprometidas com materiais que podem se transformar em criadouros para o mosquito.

O desenvolvimento deste trabalho foi uma parceria com as Secretarias de Meio Ambiente, Assistência Social, Obras, SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), VINA, Atenção Primária da SMS e toda a equipe de Combate ao Pernilongo e Dengue.

Com o uso de 5900 sacos de lixo e 440 pares de luva, foram recolhidas cerca de 20 toneladas de inservíveis e 676 pneus. Além de realizados seis atendimentos diretos com o representante da Secretaria de Meio Ambiente, 13 atendimentos com o SAAE e dois atendimentos com representante da Secretaria de Obras.

Durante as ações, foram encontrados 16 imóveis onde residem acumuladores, como são conhecidas as pessoas que têm dificuldade em se desfazer de lixo e objetos inservíveis. Em sete deles foi realizado o mutirão de limpeza e em nove ocorreu o acompanhamento de profissional da Assistência Social. Em todos os locais a equipe de mobilização abordou a comunidade, repassando informações sobre o controle de vetores, e incentivou a população a realizar a vistoria em seu próprio domicilio, já que de acordo com o LIRAa realizado em outubro, o maior número de focos do mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e Zica foi encontrado dentro de residências. “A ação foi realizada com sucesso e houve grande aceitação por parte da população, que se sensibilizou com a causa. Isso benefícios para toda a, já que foram eliminados vários criadouros que seriam propícios à concretização do ciclo de vida do mosquito Aedes aegypti”, explicou a superintendente de Vigilância Epidemiológica da SMS, Sueli Lacerda.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *