A Servidora Gislene Abreu prova inocência e voltará a Câmara de Vereadores.

A servidora Gislene Abreu Moreira Franco, que recentemente foi exonerada da Câmara de Vereadores de Sete Lagoas, juntamente com mais três colegas, no processo investigativo de empréstimos consignados feitos por servidores e vereadores, junto à Caixa Econômica Federal,  recebeu acolhida em seu pedido de reconsideração de acordo com o Processo Administrativo Disciplinar n.378/2017, publicado no Diário do Legislativo n.1090/2013 de 11/04/2017.  O Processo investigativo se tornou público em 2015, quando Fabrício Nascimento era presidente da casa e em linguagem simples, a servidora conseguiu provar sua inocência à justiça, pois ressarciu a Câmara de Vereadores todos os valores de seus emprestimos. A mesa diretora desconsiderou a penalidade da demissão da mesma, tornando-a apta a voltar ao seu posto. Em contato com nossa equipe, Gislene Abreu disse muito sentida pelo motivo dos outros colegas, mas se sente também aliviada e feliz por provar sua inocência e voltar ao seu rítimo normal. Ela aguarda a autorização de seu advogado para voltar ao seu trabalho. Na mesma publicação do Diário do Legislativo, dois servidores, siglas MPST e ZRDS, que também entraram com recursos, não conseguiram êxito e continuam afastados. Desde que o processo foi instalado pela Câmara de Vereadores e Ministério Público, já foi  ressarcido ao  município valores significantes, que foram repassados à prefeitura municipal.