SMS lança campanha alusiva ao Dia Mundial de Luta Contra a AIDS

A Prefeitura Municipal de Sete Lagoas, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, lançou a campanha alusiva ao Dia Mundial de Luta Contra a AIDS, que é comemorado todo dia 1º de dezembro e tem por finalidade alertar toda a sociedade sobre essa doença.

Na primeira semana de dezembro, as Unidades Básicas de Saúde farão exames laboratoriais e testes rápidos que detectam os anticorpos contra o HIV em cerca de 30 minutos. Esses testes são realizados gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e podem ser feitos, de forma anônima, nas Unidades Básicas de Saúde Belo Vale, Cidade de Deus, Luxemburgo, Itapuã, CDI I, e no ESF do bairro de Fátima. (Confira os dias de realização dos exames no fim deste texto).

No CEAE (Centro Estadual de Atenção Especializada, antigo CVV) os exames serão realizados nas tardes de quartas-feiras durante todo o mês de dezembro.

Além da coleta e da execução dos testes, há um processo de aconselhamento, para facilitar a correta interpretação do resultado pelo usuário.

A AIDS é uma doença que ataca o sistema imunológico. Isso se dá pela Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, como também se denomina e é causada pelo HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana). Esse vírus pode ser transmitido sexualmente, por transfusão sanguínea e compartilhamento de objetos perfurocortantes.

No Brasil, 36,7 milhões de pessoas vivem com vírus da HIV. E, atualmente em Sete Lagoas, são 1.601 pacientes cadastrados. Sendo 632 pacientes pertencentes ao município e o restante pertencentes aos 35 municípios da regional.

O primeiro caso de AIDS registrado no mundo foi no início da década de 80. A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, contudo, foi descrita em 1981. A primeira vítima da doença foi a médica e pesquisadora dinamarquesa Margrethe P. Rask, que faleceu em 12 de dezembro de 1977 de uma doença que a deteriorou rapidamente. Seguido de alguns casos que foram reconhecidos nos Estados Unidos, em função de um conjunto de sintomas em pacientes homossexuais. Devido a isso, suspeitou-se que houvesse relação entre a doença e este estilo de vida. No entanto, não tardaram a surgir casos entre heterossexuais e crianças recém-nascidas. Apesar disso, as principais características epidemiológicas continuaram sugerindo que a doença era infecciosa, transmitida por via sexual, vertical e parental.

Há alguns mitos existentes sobre a transmissão do vírus. Abaixo, observa-se o que é mito, e o que é verdade sobre a transmissão do HIV.

Assim pega HIV:

  • Sexo vaginal sem camisinha;
  • Sexo anal sem camisinha;
  • Sexo oral sem camisinha;
  • Uso de seringa por mais de uma pessoa;
  • Transfusão de sangue contaminado;
  • Da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação;
  • Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

 

Assim não pega:

  • Sexo desde que se use corretamente a camisinha;
  • Masturbação a dois;
  • Beijo no rosto ou na boca;
  • Suor e lágrima;
  • Picada de inseto;
  • Aperto de mão ou abraço;
  • Sabonete/toalha/lençóis;
  • Talheres/copos;
  • Assento de ônibus;
  • Piscina;
  • Banheiro;
  • Doação de sangue;
  • Pelo ar.

 

Para prevenção recomenda-se, em relações sexuais, o uso de camisinha, que é o método mais eficaz para se prevenir contra muitas doenças sexualmente transmissíveis, como a AIDS, alguns tipos de hepatites e a sífilis, por exemplo. Além disso, evita uma gravidez não planejada.

Também é recomendado evitar o compartilhar seringas e outros objetos que furam ou cortam.

TRATAMENTO

Para o tratamento existem os medicamentos antirretrovirais (ARV). Esses medicamentos impedem a multiplicação do vírus no organismo e ajudam a evitar o enfraquecimento do sistema imunológico. Por isso, o uso regular dos ARV é fundamental para aumentar o tempo e a qualidade de vida das pessoas que vivem com HIV e reduzir o número de internações e infecções por doenças oportunistas. Esses medicamentos são distribuídos gratuitamente para todas as pessoas vivendo com HIV que necessitam de tratamento.

Conhecer o quanto antes a sorologia positiva para o HIV aumenta muito a expectativa de vida de uma pessoa que vive com o vírus. Quem se testa com regularidade, busca tratamento no tempo certo, além de ganhar muito em qualidade de vida devido às recomendações da equipe de saúde.

Por isso, se você passou por uma situação de risco, como ter feito sexo desprotegido ou compartilhado seringas, faça o teste anti-HIV.

A Secretaria de Saúde está à disposição da população nas Unidades de Saúde para oferecer exames, testes rápidos e para atendimento e aconselhamento.

 

Realização de testes rápidos:

Local Data Período
UBS Belo Vale 04/12 Manhã e Tarde
UBS Cidade de Deus 05/12 Manhã
UBS Luxemburgo 05/12 Tarde
UBS Itapoã I 06/12 Manhã
UBS CDI I 06/12 Tarde
ESF Fátima 07/12 Manhã e Tarde
CEAE Quartas-feiras do mês de dezembro Tarde

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *