UFMG conclui primeira etapa de diagnóstico turístico de Sete Lagoas

Depois de oito dias de atividades um grupo de alunos, professores e coordenadores da Universidade Federal de Mina Gerais (UFMG) finalizou uma das principais etapas de um detalhado diagnóstico turístico de Sete Lagoas. O UFMG Conecta reuniu autoridades políticas e empresariais e ainda representantes do setor, pela segunda vez em uma semana, para detalhar a metodologia do levantamento e ainda apontar quais serão os próximos passos. Todo o trabalho tem o apoio da Prefeitura e uma forte parceria com o grupo Uai de Hotéis e Pousadas.

A apresentação foi dirigida pelo professor Mário Márcio Machado, coordenador do grupo que ainda conta com a professora Eliana Torga, os alunos/pesquisadores de graduação de extensão Bruna Flexa, Hélder Vitor, Matheus Alves e Pablo Moreira. Eles realizaram entrevistas, visitaram atrativos turísticos e ainda avaliaram a rede hoteleira do município. “Temos muito material em mãos, mas é preciso sempre destacar que sozinhos não chegaremos a lugar algum. Precisamos da parceria de todos para melhorar ainda mais o potencial turístico de Sete Lagoas”, definiu a professora Eliana Torga.

Antes de ir a campo, o UFMG Conecta já havia realizado uma pesquisa bibliográfica sobre Sete Lagoas tendo como base documentos de domínio público como: Plano de Desenvolvimento Turístico de Sete Lagoas (2012/2020), os três Estudos de Competitividade realizados pelo município, por meio da Fundação Getúlio Vargas (patrocinados pela Secretaria de Estado de Turismo, em 2009, 2010 e 2013), Plano de Negócios do Parque da Cascata, planejamento do grupo UAI de Hotéis e Pousadas, entre outros.

O professor Mário Márcio Machado apontou o diagnóstico como importante ferramenta no direcionamento das ações governamentais. Pontos fundamentais como resultados, processos internos, aprendizado, conhecimento, orçamento, infraestrutura e, principalmente, boas lideranças foram destacados. “A partir de uma avaliação bem-feita, de um diagnóstico preciso é possível melhorar todos os resultados, identificando demandas e criando soluções”, comentou.

Ainda durante a reunião, foi realizada uma dinâmica onde os presentes apontaram “quais os principais desafios precisam ser superados para o desenvolvimento do turismo de Sete Lagoas”. A participação efetiva dos presentes forneceu mais conteúdo para o relatório final do UFMG Conecta.

Para o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Bruno Violante, esta parceria com uma das universidades mais importantes do país vai referenciar não só ações da Prefeitura, mas também de quem atua na área de turismo na cidade. “Quando enxergamos esta oportunidade decidimos imediatamente pelo apoio incondicional. A Prefeitura e os parceiros do setor acreditam muito no sucesso desse trabalho”, avalia. Quem também coopera com o trabalho é a equipe da Secretaria Municipal de Cultura e Juventude. “A cultura é peça importante para o turismo de qualquer lugar no Brasil. Em Sete Lagoas vamos integrar nosso cronograma as demandas identificadas por este diagnóstico. Vamos apoiar até a sua conclusão”, comenta o secretário de Cultura, Anderson Cleber Rodrigues.

BEM NO MAPA

A equipe do UFMG Conecta elogiou a classificação de Sete Lagoas no Mapa do Turismo Brasileiro divulgado recentemente pelo Governo Federal. Trata-se de uma nova ferramenta que lista os municípios que adotam o turismo como estratégia de desenvolvimento e ainda orienta sobre a definição de políticas públicas para o setor. Na categorização do levantamento, Sete Lagoas é um dos destaques. Dos 555 municípios listados, apenas 18 estão classificados na categoria B e o cidade é um deles. “Sete Lagoas já ocupa essa excelente posição, se fizermos um pouco mais chegaremos na primeira posição”, comentou a professora Eliana Torga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *